PortugusBrasilEnglish (UK)Spanish

Testemunhos

Paula Andrea Soto Francesetti (Santiago de Chile, Chile)
Desde a infância tinha o desejo de querer mudar o mundo, para ajudar os necessitados, dar-lhes algo que iria fazê-los felizes para sempre e é por isso que eu comecei a participar de um trabalho voluntário. Fazendo esse trabalho encontrei-me mais feliz do que antes, mas ainda sentia que faltava algo. Fui uma das melhores alunas do meu colégio, atleta, um líder entre meus colegas e eu pensei que seria feliz. Mas nos meus anos do colégio, eu descobri que, mesmo assim, tendo tudo o que eu queria, não podia ser feliz. Foi nessa época que conheci as Servas do Plano de Deus e era muito atraente para mim como elas eram felizes e o trabalho que elas faziam com os mais necessitados. É por isso que eu comecei a participar de certas atividades e foi aí que descobri que encontraria a minha felicidade em Deus e também poderia ajudar os outros a encontrar a sua. Só Jesus pode mudar suas vidas e dar-lhes a verdadeira felicidade. Com o tempo e vendo meus desejos, eu tinha medo que Deus me chamasse à vida religiosa, mas eu não podia ficar com a dúvida, jamais será a solução para escapar do que meu coração ansiava. Porque não há temor no amor e porque Deus é quem mais conhece e quer a minha felicidade plena, é por isso que agora tenho quatro meses de candidata. Tem sido um tempo para descobrir a cada dia meu coração a conhecer e crescer em meu amor por Deus. Foi muito bom ter uma comunidade de candidatas que sentem e vivem o mesmo que eu, em que eu me apoio e posso compartilhar. Minha resposta ao que Deus pedia me fez muito feliz e sei que não vou a perder nada se eu faço o que Ele me pedi. Ver o que Ele quer para mim me trouxe felicidade e paz de espírito, todos os meus medos se desvaneceram isso confirma que o que eu estou vivendo vem Dele, que me ama e quer o melhor para mim.


Hna. Melanie Taylor (Santiago de Chile, Chile)
Eu sempre quis ajudar os necessitados, mas eu nunca relacionei esse desejo com  a vida religiosa. Quando eu conheci o Servas, fiquei impressionada com a missão realizada com os necessitados, eu me questionei muito ao ver jovens como eu, que desejava dar a sua vida servindo aos outros. Eu vi que ellas erao muito felizes e eu percebi que essa felicidade era pela resposta que davam ao que Deus lhes pedia.                                                                                                                                        Ao longo do tempo a voz de Deus começou a ser mais forte e eu já não podia deixar de escutar porque sabia que ele queria algo de mim e eu tinha que responder a quem tinha dado a vida por mim, eu entendi que a minha felicidade e a de outras pessoas dependia disso e é assim que eu comecei um processo de discernimento como candidata, o que me fez estar mais perto do Senhor e da comunidade e assim fui gradualmente descobrindo o seu chamado, eu entendi como todos os anseios do meu coracao eram frutos do amor que Deus tinha por mim. Entrei na comunidade com 18 anos e estou no meu segundo ano de formação, cada dia estou mais feliz e eu realmente vejo que na minha vida cumpriu-se a promessa de Jesus: "Todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, pai, mãe, filhos ou campos por minha causa, receberá cem vezes mais e herdará a vida eterna".

 


Hna. Jessica Wong (Toronto, Canadá)

A forma como eu descobri minha vocação sempre me lembra que eu não escolhi a Deus, mas foi ele que me escolheu. Nasci e cresci em uma família católica de Hong Kong e aos 13 anos me mudei para o Canadá. Enquanto no primeiro ano de faculdade, fui para um retiro onde me disseram que a vocação está dentro de nós e nós temos que descobrir-la, já que no último ano de faculdade, quando eu perguntei que queria fazer da minha vida depois de terminar meus estudos, percebi que eu realmente queria gritar para o mundo que Deus é real e comecei a questionar minha vocação à vida consagrada. Foi nesse momento que me convidaram a uma viagem missionária ao Peru e me inscrevi na esperança de descobrir o que Deus queria de mim. E foi nesta viagem que eu conheci as Servas. Uma das irmãs disse-nos que em nossas missões veríamos muitas pessoas necessitadas, que precisam de comida, trabalho, etc. E também nos disse que existem necessitados não só no Peru, mas em todo o mundo, porque em todos os lugares existem pessoas que precisam de Deus e que antes de dar a ajuda material sempre devemos levar a Cristo. Este foi um momento importante, porque eu identifiquei o que meu coração ansiava....

 


Hna. Juliana Resende (Rio de Janeiro, Brasil)
Parece estranho, mas até os 23 anos eu nunca tinha pensado em ser religiosa. Parecia uma vocação agradável para os outros, mas pensei que não era para mim. Eu sou brasileira, filha de médicos, de uma família católica de três irmãs e meus planos eram de estudar para ser médica também, esse era o meu grande ideal. Quando terminei meus estudos e comecei a trabalhar e entrar em contacto com os pacientes, pude ver que o que eles precisavam não era só de cuidados médicos mais necessitavam eram encontrar-se com Deus e ao mesmo tempo sentia que tudo o que tinha vivido antes foi bom, mas não foi satisfatório. Descobri um grande vazio dentro de mim, como uma sede profunda, pouco a pouco eu descobri que só Ele me poderia saciar com o seu infinito amor e dar a minha vida um sentido, uma plenitude e a verdadeira felicidade. Após vários meses de discernimento, percebi com clareza e certeza de que este era o meu caminho, era a minha vocação - para dar a minha vida a Deus e a todos os necessitados nas Servas do Plano de Deus. Em resposta, eu tive uma experiência de paz que nunca havia experimentado antes. Hoje estou convencida de que quanto mais amo, quanto mais eu dou, mais me encontro com que sou e descubro uma profunda alegria que só pode britar de um encontro pessoal com Jesus Cristo e de cumprir o seu Plano de Amor.